“Maria Madalena” é considerado herético e “revisionismo feminista da Bíblia”

Líderes cristãos desaconselham fiéis a assistirem


"Maria Madalena" é considerado "revisionismo feminista da Bíblia"

“Maria Madalena” filme baseado no personagem bíblico de mesmo nome, foi lançado no mundo todo este mês. Contudo, a recepção de líderes cristãos vem sendo amplamente crítica.

A atriz Rooney Mara interpreta o papel principal, enquanto Joaquin Phoenix vive Jesus na trama. Embora o Novo Testamento não fale muito sobre a vida de Maria antes dela se tornar uma seguidora de Jesus, eruditos sempre associaram a personagem a prostituição, por causa da fama da cidade de onde ela vinha, Magdala.

O relato dos evangelhos diz que ela era possuída por sete demônios, mas depois de liberta passou a ser uma discipula dedicada, sendo a primeira a ver o túmulo vazio de Cristo no domingo de Sua ressurreição.

Porém, o filme dirigido por Garth Davis não é fiel às Escrituras em nenhum aspecto. Nos Estados Unidos, alguns pastores o classificaram de “herético” e desaconselharam os cristãos a assisti-lo.

Segundo críticos de cinema, a história apresentada nas telas pretende “desmitificar” a ideia de Jesus como Deus, reduzindo-o a um mestre religioso do primeiro século. Também infere que ele teria uma relação amorosa com Maria Madalena, uma antiga heresia.

No Reino Unido, a revista Variety descreveu o Jesus de Joaquin Phoenix de “Um psiquiatra amoroso que não vê demônios [nela], apenas uma mulher incompreendida por sua família”.

“Esta revisão feminista da figura de prostituta dentro do cristianismo tipifica um dos relatos mais complexos da história cristã”, avalia o periódico. “A abordagem moderna do filme dá espaço ao viés feminista que coloca ênfase no papel de Maria e das outras mulheres na proteção e avanço do legado de Cristo.”

Além de tentar “descontruir” Jesus e Maria Madalena, a produção mostra Judas (Tahar Rahim), como um discípulo incompreendido, que não tinha uma má intenção ao trair o Senhor, tentando apenas provocar uma reação dele contra o domínio romano.

Ao mesmo tempo, Pedro (Chiwetel Ejiofor) é mostrado como um apóstolo vaidoso e belicoso, que visa lutar contra os romanos empunhando armas. Revela-se também “machista”, por ser o que mais questiona a presença de uma mulher entre os discípulos. Com informações Christian Post

Assista:




Deixe seu comentário!