Filmes cristãos são o futuro da evangelização, acreditam produtores

Pastor cineasta diz que “podemos ser sal e luz em Hollywood e na indústria do entretenimento”


Filmes cristãos são o futuro da evangelização

Os filmes abordando temas de fé continuam tendo sucesso de bilheteria. O grande sucesso de “Eu Só Posso Imaginar”, que ficou entre os mais assistidos no mundo este mês, animou os produtores cristãos que trabalham na indústria do entretenimento de Hollywood a apostarem em mais produções do gênero religioso. Para eles, filmes podem ser o futuro da divulgação do Evangelho.

No ano passado, a animação “A Estrela de Belém” e o biográfico “Em Defesa de Cristo” alcançaram milhões de pessoas. O filme de maior bilheteria no gênero, “A Cabana”, embora controverso, chamou atenção do grande público para temas espirituais.

Na verdade, alguns pastores e ministérios estão planejando alcançar pessoas para Cristo através de mais filmes com valores cristãos. Uma mudança vem ocorrendo desde que “A Paixão de Cristo” rompeu uma barreira e voltou a jogar luz sobre material abertamente cristão.

Desde o início da década, pequenas produções independentes, produzidas com fundos provenientes de igrejas, vem conseguindo espaço nas salas de cinema e tendo enorme sucesso no mercado. O maior exemplo são os da série “Deus não está morto”. Ao mesmo tempo, grandes estúdios como a Sony apostaram em roteiros como “O céu é de verdade”, que mostrou como é possível manter íntegra a mensagem e obter sucesso nas bilheterias.

John David Ware, idealizador de um festival de filmes cristãos, pediu aos pastores que se envolvessem mais com o setor cinematográfico, possibilitando que material de qualidade chegasse aos cinemas.

“O espírito de Deus pode usar todos os tipos de filmes”, disse o pastor Grady Williams, da produtora Powerhouse Christian Fellowship, da Califórnia. “Se nós (como pastores) podemos amplificar aquilo que é bom, então podemos ver isso se tornar concreto. Jamais podemos substituir a obra do Espírito. Eu me alegro que hoje podemos ser sal e luz em Hollywood e na indústria do entretenimento”.

Essa motivação também está presente em atores como Jim Caviezel. Famoso pelo seu papel como Jesus no filme “A Paixão de Cristo”, ele faz o papel do evangelista Lucas em “Paulo, apóstolo de Cristo”, que estreia mês que vem no Brasil. Durante a promoção do longa, ele afirmou que escolheu fazer apenas filmes que acredita “trarão almas para Cristo” depois que Deus falou ao seu coração sobre isso. Com informações Christian Post





Deixe seu comentário!